SIMPÓSIO SOBRE LESÕES TRAZ AVANÇOS CIENTÍFICOS - Saúde Bem Explicada

Saúde Bem Explicada20 de agosto de 20187min448
Dr-Marcelo-Oliveira.jpg

Especialistas do Brasil e exterior debatem no Rio –  31 de agosto e 1º de setembro –  novas terapias e apresentam equipamentos para acelerar cicatrização

Avanços científicos que integram tratamentos de lesões, a importância da nutrição,  terapia celular, reconstruções e enxertos, banco de pele, além do emprego da tecnologia robótica no rejuvenescimento facial e corporal. Esses temas estão entre os principais destaques do  V Simpósio Internacional de Inovações Tecnológicas no Tratamento de Lesões  (SIITTRAL 2018). O evento está aberto a médicos, profissionais e estudantes da área de saúde, e acontece dias 31 de agosto e 1º de setembro, no Sheraton Rio Hotel & Resort (Av. Niemeyer, 121 – Leblon). Mesas com 11 debates científicos, além de workshop e conferência com trabalhos nacionais e internacionais, movimentarão o simpósio, cujas inscrições podem ser feitas pelo site www.siittralrj.com.br.

Uma das novidades que será apresentada é o VAC portátil, destinado a acelerar o tempo de cicatrização de lesões graves.  Esta terapia já faz parte de alguns hospitais públicos e particulares do Rio de Janeiro e estará acessível aos consultórios, podendo atender a um maior número de pessoas sem necessidade de internação. O cirurgião plástico Marcelo Oliveira, presidente do SIITTRAL, explica que com o equipamento a  região fica mais vascularizada, menos úmida, e com isso a recuperação do tecido se torna mais rápida. “Além desse equipamento vamos falar de inúmeras pesquisas e inovações tecnológicas. Serão dois dias com sessões teóricas e práticas, para que os profissionais possam aprimorar seus conhecimentos da melhor forma. O SIITTRAL é  hoje o mais completo simpósio multidisciplinar sobre lesões crônicas”, completa.

O SIITRAL 2018 conta com um comitê organizador formado pelos cirurgiões plásticos Marcelo Oliveira e José Gradel, Membros Titulares da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Lydia Masako, professora da disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo e Sérgio Carreirão, responsável pela comissão científica, autor de vários livros sobre cirurgia plástica, Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgião e cirurgião do Hospital da Lagoa.

Entre os palestrantes internacionais, está  Lucian Vlad, cirurgião plástico e de reconstrução, da Carolina do Norte (USA), que participará de mesa sobre evolução de terapias para a recuperação de feridas.  Também estarão presentes o médico francês Charles Gardeau, Presidente do Capítulo de Cirurgia Estética da Sociedade Francesa de Cirurgia Plástica, e a italiana Debora Subissati, professora de Cosmetologia do Departamento de Medicina Estética da Tor Vergata University, em Roma. Ambos abordarão novidades em rejuvenescimento.

O SIITTRAL conta também a participação do presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Niveo Steffen, que abordará as novidades sobre bancos de pele e de especialistas nacionais renomados como o chefe de Telemedicina da Universidade de São Paulo (USP), Chao Lung Wen, que apresentará os avanços da telemedicina no Brasil; Rina Porta, do Departamento de Cirurgia Vascular da USP, que falará sobre a abordagem integrada no tratamento das feridas complexas, e o chefe do Departamento de Cirurgia da USP, Rolf Gemperli, que mediará uma mesa sobre a evolução da terapia por pressão negativa.

É importante destacar que as lesões crônicas, sejam elas de origem vasculares, por pressão, infecciosas, neoplásicas, traumáticas ou outras, afetam um grande número de pessoas, e podem levar a óbito se não tratadas adequadamente.

A preocupação com os tratamentos de lesões cresce ainda mais com o aumento da expectativa de vida do idoso. Dados do IBGE divulgados em julho último estimam que em 2039 a população idosa com mais de 65 anos vai superar a de crianças de até 14 anos.  Com isso crescem as incapacidades ocasionadas por doenças associadas ao envelhecimento. São pessoas sem mobilidade ideal com sequelas de doenças venosas, AVC, fraturas, enfermidades neurológicas e cardiovasculares, integrando um grupo mais propenso ao desenvolvimento de feridas crônicas. Esse problema gera um impacto na qualidade de vida de pacientes e familiares. E também provoca alto custo no sistema de saúde devido a tratamentos complexos e internações.

O  SIITTRAL, que acontece desde 2014, foi criado com o objetivo de proporcionar a troca de informações entre profissionais de várias especialidades médicas nos tratamentos de lesões. “Existem muitos avanços e é importante ter essa troca frequente de conhecimento, falando de tecnologias em prol da melhora do paciente, trazendo uma maior qualidade de vida e um tratamento mais efetivo”, diz o cirurgião plástico José Gradel,  vice-presidente do SIITTRAL.

Antes do Simpósio acontece dia 30 de agosto, no mesmo local, o Pré-Siittral, das 17h às 18h30, tendo como tema “Laser de baixa potência e LED no tratamento de feridas”, que será dividido em dois módulos: fotobiomodulação e narração de experiências pessoais.  A programação completa pode ser conferida no http://siittralrj.com.br/programacao-cientifica/

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Contexto