Pesquisa aponta que competitividade, ética e regulação são os três principais motivadores para os hospitais adotarem programas de gestão ambiental - Saúde Bem Explicada

Saúde Bem Explicada6 de outubro de 20173min65
A responsabilidade ambiental é um tema de pesquisa amplo e relativamente recente no setor de saúde. Tendo em vista que o aumento da expectativa de vida implica maior necessidade de serviços médicos e que estes, por sua vez, geram externalidades ambientais com efeitos negativos sobre a saúde, pesquisadores do Centro de Estudo em Gestão de Serviços de Saúde (CESS/COPPEAD) perceberam a necessidade de uma compreensão mais profunda da relação entre responsabilidade ambiental e o setor de saúde.

A responsabilidade ambiental é um tema de pesquisa amplo e relativamente recente no setor de saúde. Tendo em vista que o aumento da expectativa de vida implica maior necessidade de serviços médicos e que estes, por sua vez, geram externalidades ambientais com efeitos negativos sobre a saúde, pesquisadores do Centro de Estudo em Gestão de Serviços de Saúde (CESS/COPPEAD) perceberam a necessidade de uma compreensão mais profunda da relação entre responsabilidade ambiental e o setor de saúde.
Assim, um estudo de casos múltiplos foi conduzido em quatro hospitais brasileiros, localizados no Rio de Janeiro e em São Paulo, com o objetivo de investigar a real motivação dos gestores de hospitais a buscar e adotar programas de responsabilidade ambiental e assim também identificar as ações implementadas por eles.

Os resultados indicaram que os principais impulsionadores são: competitividade, ética e regulação. Além disso, percebeu-se também que os motivadores concorrência e regulação possuem o potencial para estabelecer uma base para o desempenho ambiental, que varia de acordo com tipo de propriedade, pública ou privada.

Os resultados também apontaram que a abrangência das ações ambientais está relacionada com a resiliência organizacional e com os motivadores que impulsionam hospitais para adotar essas ações. Além disso, observou-se que o gerenciamento ambiental nos hospitais investigados está em seus estágios iniciais e que os benefícios ambientais são percebidos pelos gestores como “efeitos colaterais” bem-vindos.

O recente estudo é fruto do trabalhado dos pesquisadores do CESS/COPPEAD Jan Kruger, Claudia Araújo, coordenadora do Centro, e Guilherme Curi.

O artigo, escrito em inglês sob o título de “Motivating factors in hospital environmental management programs: a multiple case study in four private Brazilian hospitals”* foi publicado em uma edição especial sobre Estratégia, Mudança Organizacional e Resiliência Organizacional, do Cadernos EBAPE.BR, da Escola Brasileira de Administração Púbica e Empresas da Fundação Getúlio Vargas, periódico online com foco na Área de Administração.

*Fatores motivadores dos programas de gestão ambiental em hospitais: um estudo de caso múltiplo em quatro hospitais privados brasileiros”