Fonoaudiologia para idosos - Saúde Bem Explicada

Saúde Bem Explicada9 de dezembro de 20174min835
genise.jpg

Hoje, 9 de dezembro, é dia do Fonoaudiólogo.  Decidimos produzir um conteúdo focado nos benefícios da  Fonoaudiologia para os idosos.  Conversamos com a Fonoaudióloga e Gerontóloga  Genise Ferreira. Temos certeza que muito do que ela falou vai ajudar muita gente. Vamos lá.

Disfagia

Diversas  atividades  terapêuticas  podem  reverter situações que causam desconforto no dia a dia dos idosos . É comum que muitos apresentem dificuldade para  engolir alimentos e até mesmo saliva. Problemas de deglutição, conhecidos como disfagia, aparecem por conta da idade e/ ou desordens neurológicas. O envelhecimento propicia o relaxamento da musculatura da laringe provocando engasgos que podem levar à  broncoaspiração, inspiração do vômito ou outro corpo estranho, levando ao fechamento das vias aéreas.

Idosos com problemas de disfagia podem ser tratados ambulatorialmente  com manobras específicas e mudança na consistência da alimentação. Como identificar o problema?  Atenção a tosse, pigarros, engasgos freqüentes, dor no ato de deglutir, perda de peso e pneumonia de repetição provocada pela própria saliva. Esses sintomas indicam que você deve procurar um Fonoaudiólogo especializado em disfagia.

É comum, principalmente em mulheres, o ressecamento da boca após menopausa.  Nesses casos, podem ser feitos estímulos para aumentar a salivação. “Idosos perdem qualidade vocal. A voz começa a engrossar. Muitos se queixam  de falta de paladar. Cada  parte da língua identifica um sabor diferente: doce, azedo, salgado.  Existem técnicas para estimular a língua e ajudar na recuperação do paladar”, afirma.

 

Audição

Um ponto muito importante  que os familiares devem ficar atentos com os idosos é a audição. Muitas vezes  a família acha que os “ velhinhos” estão distraídos e não se dão conta de que o problema está na dificuldade em ouvir. Segundo Genise , está cientificamente comprovado que a surdez pode levar à demência. “O idoso escuta, mas não compreende. Ele perde informação do mundo, fica alienado. O cérebro que está acostumado com uma pessoa que enxerga e ouve para poder organizar o pensamento, fica com a cognição fragmentada”, explica. A audiometria é fundamental para que o Fonoaudiólogo avalie a necessidade do uso de prótese auditiva ( aparelho de surdez). Mas atenção: não basta comprar o aparelho é preciso fazer a adaptação com esse profissional.

Cognição

Estimular os idosos a praticarem exercícios para funções mentais superiores ajuda na reabilitação cognitiva, trabalhando a atenção, a percepção, a memória e a concentração.  Com a idade avançada a escrita fica ruim, a pessoa perde a função tátil. Exercícios grafomotores são aplicados para pessoas voltarem a escrever, por exemplo.

Para Genise, o encanto da profissão é saber que existem alternativas que vão além dos remédios e cirurgias. “Chega um momento que isso não resolve mais. Poder reabilitar o paciente que deixou de falar, de se movimentar e compreender é muito bom”. E termina a entrevista com um pequeno poema: Caminho, paro, olho  para traz. Estou cansado, velho e doente. Cuide de mim.