3G9A0803-1280x845.jpg

Saúde Bem Explicada27 de março de 20182min746

 

As cirurgias robóticas batem recorde no Brasil, que, atualmente, possui mais de 30 robôs operando na rede pública e privada, o dobro de equipamentos disponíveis no país em 2015. Além de ser menos invasivo, o método pode reduzir o tempo de internação e, o principal, é uma ferramenta a mais para casos mais complexos como pacientes muito pesados ou que já tenham passado por uma cirurgia bariátrica anterior e tiveram recidiva da obesidade.

“Os avanços tecnológicos da medicina, como a cirurgia robótica, ampliaram as alternativas de tratamento e cura de pacientes graves. A tecnologia robótica viabiliza cirurgias que antes eram feitas com muita dificuldade, demoradas e com altas taxas de complicações e que hoje são realizadas com muito mais segurança, precisão e menos trauma para o paciente”, afirma Fernando de Barros, coordenador de Cirurgia Robótica do Hospital São Lucas Copacabana, que há um ano inaugurou o Serviço de Cirurgia Robótica e já realizou mais de 300 procedimentos no período.

  • Casos de alta complexidade também se tornaram viáveis e seguros com a cirurgia robótica como os procedimentos realizados em pacientes superobesos, ou seja, aqueles com Índice de Massa Corpórea (IMC) maior que 50, isto é, pacientes que podem pesar até 250 kg. ” As pinças robóticas dão ao cirurgião melhor acesso nesse tipo de paciente, com maior profundidade devido à visão em 3D e permitem movimentos finos, delicados e precisos nesses casos desafiadores de pacientes com doença da obesidade muito avançada, o que é extremamente desafiador”, explica Fernando de Barros.