PapoRosa_DraSabrinaChagaseDraMariaJuliaCalas-Imprensa-1280x853.jpg

Saúde Bem Explicada26 de setembro de 20182min264

As médicas Sabrina Chagas e Maria Júlia Calas promovem a 2? edição do evento Papo Rosa no sábado, 06/10, no Theatro Net, em Copacabana, zona Sul do Rio, para esclarecer os mitos e as principais dúvidas dos participantes sobre câncer de mama.

Além do bate-papo informal com renomados especialistas, haverá ainda uma aula de meditação, oficinas de beleza, brindes e exposição de fotos do projeto “Divas”, com mulheres que venceram ou estão na luta para vencer a doença. A entrada é gratuita e as inscrições devem ser feita pelo número: (21) 99321-9769.

“Vamos aproveitar a mobilização pela causa que acontece nesse mês para conscientizar as pessoas que é possível tratar um câncer e que o diagnóstico precoce é o nosso melhor aliado – diz, Sabrina Chagas, médica oncologista.

Também participarão do evento a nutricionista oncológica, Patrícia Arraes; a médica hematologista e facilitadora de meditação, Regina Chamon; o cirurgião-plástico, Ailthon Takishima, da clínica Woman; e Nina Rosa, da Leva Estilo.

Câncer de mama – É o mais comum entre mulheres no Brasil e no mundo. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), para 2018, é estimado o surgimento de 59.700 mil registros. No Rio de Janeiro, são esperados 8.050 casos da doença.

 

SERVIÇO:

Evento: Papo Rosa

Data: 06/10

Entrada Gratuita


dia-mundial-do-alzheimer-1-1.jpg

Saúde Bem Explicada11 de setembro de 20185min224

Uma das doenças degenerativas do cérebro que mais cresce entre os idosos é o Alzheimer. Hoje é uma das formas mais comuns de demência. No dia 20 de setembro, quinta-feira, às 18h30, o neurologista André Lima vai realizar  uma palestra sobre o assunto na Clínica Neurovida. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelos telefones: 3738-9800/97513-2413 (whatsapp) e as vagas são limitadas.  A Neurovida fica na  Av. Lúcia Costa, 17.970 – loja E, esquina com a Rua Gilka Machado, no Recreio dos Bandeirantes.

O evento acontece para chamar atenção para a doença – 21 de setembro é o Dia Mundial de Combate a Doença de Alzheimer – que acomete aproximadamente entre 50 e 60% da população idosa mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Ainda não há um diagnóstico definitivo, apenas um diagnóstico de exclusão. No momento não há cura e não tem como ser evitada.  O que é possível fazer é minimizar as causas ainda quando se é jovem tendo uma melhor qualidade de vida.

Segundo a ONU, 75% dos doentes de Alzheimer desconhecem que sofrem do mal e a família, às vezes, é a última a perceber que aquele “simples” esquecimento, no idoso, é um dos sintomas iniciais. Além disso, muitos enfrentam o problema com a assistência médica. Com a crise e o achatamento das aposentadorias, a maioria não tem condições de pagar um plano de saúde e depende dos hospitais públicos/SUS que não oferecem um atendimento de excelência e acompanhamento constante.

O tratamento da doença requer um atendimento multidisciplinar com atendimento por profissionais da área da neurologia, clínica médica, fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e nutrição. A doença manifesta-se através de uma demência progressiva, que aumenta sua gravidade com o tempo e os sintomas começam lentamente e se intensificam ao longo dos anos. É um conjunto de sintomas que provoca alterações do funcionamento cognitivo (memória, linguagem, planejamento e habilidades visuais-espaciais), físico (problemas de marcha e deglutição) e também do comportamento (apatia, agitação, agressividade, delírios, entre outros), limitando, progressivamente, a pessoa nas suas atividades diárias.

Pode ser que os primeiros sintomas comecem alguns anos antes dos familiares perceberem que o idoso está com a demência. Podem ser esquecimentos simples, como troca de nomes dos netos, repetição de uma mesma história várias vezes e mudança de comportamento ou comportamento não adequado. Quanto antes se iniciar um tratamento, procurando a ajuda de um profissional da área médica, melhor será para  retardar o avanço da doença. Um diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento, que tem como objetivo frear o progresso da doença.

Os cuidados com o paciente são essenciais para que ele tenha conforto. O convívio familiar também e muito importante. Sempre observar as mudanças de comportamento, ter cuidados com a higiene para evitar infecções, não entrar em conflitos e principalmente ter muita paciência e amor.

Junto com os doentes, cresce também o número de familiares cuidadores que possuem sua rotina afetada pela doença. É comum este cuidador desenvolver doenças originadas pelo estresse. Além de vários outros problemas físicos, esse familiar pode apresentar também depressão, exaustão, insônia, irritação e falta de concentração. São problemas tanto físicos quanto psicológicos. Isso ocorre devido à sobrecarga de tarefas com o doente que aumenta com a evolução da doença.

Algumas dicas podem ajudar o cuidador a diminuir o estresse diário. Uma delas é aumentar o conhecimento sobre a doença, isso faz com que o familiar se prepare para as etapas do processo de demência, encarando as dificuldades de maneira mais prática. É importante que a pessoa tenha um sono reparador, pratique atividades físicas, tire um momento para si, mantenha uma rotina com amigos, medite, exercite a espiritualidade e se preciso participe de grupos de apoio.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa MVigo Assessoria de Comunicação


renalcor-rj.jpg

Saúde Bem Explicada3 de setembro de 20183min208

Ação aconteceu simultaneamente em mais de 40 cidades do país e reuniu milhares de pessoas em prol de pacientes renais crônicos

A Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplantes (ABCDT) promoveu  na último dia 29 o Dia D da Diálise. A ação, que é fruto da campanha “vidas importam, a diálise não pode parar”, ocorreu simultaneamente em diversas cidades do país e mobilizou milhares de pessoas em defesa do tratamento renal. Um verdadeiro sucesso.

Dentre as cidades que receberam o maior número de pessoas apoiando a iniciativa e causaram maior visibilidade para a campanha estão: Rio de Janeiro (RJ), Belém (PA), Joinville (SC), Campo Mourão (PR), Curitiba (PR), Rio do Sul (SC), Porto Velho (RO) e Natal (RN).

Dr. Carlos Pinho, Secretário Geral da ABCDT, participou da campanha realizada no Rio de Janeiro. O evento contou com material explicativo sobre os tratamentos, além de aferição de pressão arterial, simulação de hemodiálise e teste glicêmico para os participantes. No local, que teve ampla cobertura da imprensa, estiveram presentes: familiares, pacientes, médicos, funcionários de hospitais e representantes de indústrias, empresas e redes clínicas.

O Secretário também participou da Audiência Pública solicitada pela Associação dos Renais e Transplantados do Rio de Janeiro, na Assembleia Legislativa do Estado. No encontro, foi reivindicado o financiamento adequado para o setor e a garantia de acesso a diálise para as mais de 120 mil pessoas com problemas renais crônicos, no Brasil.

A campanha está sendo extremamente positiva e comemorada pelos idealizadores do “vidas importam, a diálise não pode parar”. Segundo Carlos Pinho, o movimento faz com que o público assuma um papel de protagonismo na luta para a qualidade de vida dos pacientes renais em nosso país.

 

Sobre a ABCDT

Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante é uma entidade de classe que representa as clínicas de diálise de todo o país. A ABCDT tem como principal objetivo zelar pelos direitos e interesses de seus associados, representando-os junto aos órgãos públicos, Ministério da Saúde, Senado Federal, Câmara Federal, Secretarias Estaduais e Municipais. A mesma ainda representa as clínicas em ações judiciais, defendendo seus interesses individuais e coletivos.

Divulgação: Assessoria de Imprensa máquinacohn&wolfe

Foto: Divulgação


Dr-Marcelo-Oliveira.jpg

Saúde Bem Explicada20 de agosto de 20187min475

Especialistas do Brasil e exterior debatem no Rio –  31 de agosto e 1º de setembro –  novas terapias e apresentam equipamentos para acelerar cicatrização

Avanços científicos que integram tratamentos de lesões, a importância da nutrição,  terapia celular, reconstruções e enxertos, banco de pele, além do emprego da tecnologia robótica no rejuvenescimento facial e corporal. Esses temas estão entre os principais destaques do  V Simpósio Internacional de Inovações Tecnológicas no Tratamento de Lesões  (SIITTRAL 2018). O evento está aberto a médicos, profissionais e estudantes da área de saúde, e acontece dias 31 de agosto e 1º de setembro, no Sheraton Rio Hotel & Resort (Av. Niemeyer, 121 – Leblon). Mesas com 11 debates científicos, além de workshop e conferência com trabalhos nacionais e internacionais, movimentarão o simpósio, cujas inscrições podem ser feitas pelo site www.siittralrj.com.br.

Uma das novidades que será apresentada é o VAC portátil, destinado a acelerar o tempo de cicatrização de lesões graves.  Esta terapia já faz parte de alguns hospitais públicos e particulares do Rio de Janeiro e estará acessível aos consultórios, podendo atender a um maior número de pessoas sem necessidade de internação. O cirurgião plástico Marcelo Oliveira, presidente do SIITTRAL, explica que com o equipamento a  região fica mais vascularizada, menos úmida, e com isso a recuperação do tecido se torna mais rápida. “Além desse equipamento vamos falar de inúmeras pesquisas e inovações tecnológicas. Serão dois dias com sessões teóricas e práticas, para que os profissionais possam aprimorar seus conhecimentos da melhor forma. O SIITTRAL é  hoje o mais completo simpósio multidisciplinar sobre lesões crônicas”, completa.

O SIITRAL 2018 conta com um comitê organizador formado pelos cirurgiões plásticos Marcelo Oliveira e José Gradel, Membros Titulares da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Lydia Masako, professora da disciplina de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo e Sérgio Carreirão, responsável pela comissão científica, autor de vários livros sobre cirurgia plástica, Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgião e cirurgião do Hospital da Lagoa.

Entre os palestrantes internacionais, está  Lucian Vlad, cirurgião plástico e de reconstrução, da Carolina do Norte (USA), que participará de mesa sobre evolução de terapias para a recuperação de feridas.  Também estarão presentes o médico francês Charles Gardeau, Presidente do Capítulo de Cirurgia Estética da Sociedade Francesa de Cirurgia Plástica, e a italiana Debora Subissati, professora de Cosmetologia do Departamento de Medicina Estética da Tor Vergata University, em Roma. Ambos abordarão novidades em rejuvenescimento.

O SIITTRAL conta também a participação do presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Niveo Steffen, que abordará as novidades sobre bancos de pele e de especialistas nacionais renomados como o chefe de Telemedicina da Universidade de São Paulo (USP), Chao Lung Wen, que apresentará os avanços da telemedicina no Brasil; Rina Porta, do Departamento de Cirurgia Vascular da USP, que falará sobre a abordagem integrada no tratamento das feridas complexas, e o chefe do Departamento de Cirurgia da USP, Rolf Gemperli, que mediará uma mesa sobre a evolução da terapia por pressão negativa.

É importante destacar que as lesões crônicas, sejam elas de origem vasculares, por pressão, infecciosas, neoplásicas, traumáticas ou outras, afetam um grande número de pessoas, e podem levar a óbito se não tratadas adequadamente.

A preocupação com os tratamentos de lesões cresce ainda mais com o aumento da expectativa de vida do idoso. Dados do IBGE divulgados em julho último estimam que em 2039 a população idosa com mais de 65 anos vai superar a de crianças de até 14 anos.  Com isso crescem as incapacidades ocasionadas por doenças associadas ao envelhecimento. São pessoas sem mobilidade ideal com sequelas de doenças venosas, AVC, fraturas, enfermidades neurológicas e cardiovasculares, integrando um grupo mais propenso ao desenvolvimento de feridas crônicas. Esse problema gera um impacto na qualidade de vida de pacientes e familiares. E também provoca alto custo no sistema de saúde devido a tratamentos complexos e internações.

O  SIITTRAL, que acontece desde 2014, foi criado com o objetivo de proporcionar a troca de informações entre profissionais de várias especialidades médicas nos tratamentos de lesões. “Existem muitos avanços e é importante ter essa troca frequente de conhecimento, falando de tecnologias em prol da melhora do paciente, trazendo uma maior qualidade de vida e um tratamento mais efetivo”, diz o cirurgião plástico José Gradel,  vice-presidente do SIITTRAL.

Antes do Simpósio acontece dia 30 de agosto, no mesmo local, o Pré-Siittral, das 17h às 18h30, tendo como tema “Laser de baixa potência e LED no tratamento de feridas”, que será dividido em dois módulos: fotobiomodulação e narração de experiências pessoais.  A programação completa pode ser conferida no http://siittralrj.com.br/programacao-cientifica/

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Contexto

 


CHN-1280x818.jpg

Saúde Bem Explicada10 de agosto de 20186min297

Com o objetivo de envolver familiares e cuidadores em atividades que fazem parte da rotina de cuidados a pacientes em processo de recuperação após a alta hospitalar, o CHN (Complexo Hospitalar de Niterói), em parceria com o hospital de transição Placi, realizará, no dia 18 de agosto, das 9h às 12h, em Niterói, o evento Tive Alta e Agora? O Papel da Família no Cuidado Pós-hospitalar, um circuito de atividades gratuitas e abertas ao público.

“Esse encontro é uma ótima oportunidade para aprender como oferecer um ambiente seguro, amoroso e receptivo para quem passa por um momento de recuperação e precisa de todos os cuidados e estímulos possíveis para superá-lo”, explica o dr. Moyzes Damasceno, diretor-presidente do Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação do CHN e gestor médico das UTIs Adulto do CHN.

O circuito será aberto com uma apresentação sobre a assistência a pacientes em reabilitação e cuidados paliativos. Na sequência, a oficina O Outro em Mim buscará conscientizar os participantes das dificuldades que pacientes em recuperação enfrentam, com base na percepção das limitações dessas pessoas. Com o uso de cadeiras de rodas, andadores, muletas e bengalas, fisioterapeutas levarão os participantes a se colocarem no lugar do outro e a vivenciarem situações de dependência. 

Já a atividade de pet terapia buscará sensibilizar o público por meio do contato com animais de estimação. Além de propiciar o exercício de habilidades como coordenação motora fina e percepção, a interação dos pacientes com os pets motiva a concentração e a socialização do indivíduo por meio da interação com os bichos.

Simultaneamente, em outra sala, a oficina Cuidados Básicos com Gastronomia e Traqueostomia vai simular, com a ajuda de um boneco robô, o uso de instrumentos hospitalares como sonda, seringa, gaze e cânula, para dar aos participantes orientações básicas sobre a utilização adequada desses recursos.

Em seguida, uma mesa com jogos e exercícios lúdicos demostrará como esses recursos cognitivos podem estimular a memória de pacientes, motivando, ainda, a interação deles e promovendo um processo inclusivo. No fim do circuito, os participantes poderão ter contato com a musicoterapia por meio da experimentação de instrumentos musicais.

Para o dr. Carlos Chiesa, diretor-presidente do Placi, a interdisciplinaridade aplicada na assistência para o cuidado integral do paciente, considerando a saúde clínica, psicológica e social do indivíduo. Por isso, vamos apresentar, nesse circuito de atividades simultâneas, durante o evento, ações conduzidas pelas equipes na rotina assistencial do Placi que trazem bons resultados ao tratamento dos pacientes e, consequentemente, ao processo de alta hospitalar”, explica.

A programação conta com um simpósio para médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde e comemora os 20 anos do Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação do CHN. 

Serviço

Evento: Tive Alta e Agora? O Papel da Família no Cuidado Pós-hospitalar.
Data: 18/8/2018 (sábado).
Horário: das 9h às 12h30.
Local: Hotel H Niterói (Rua Dr. Paulo Alves, 14 – Ingá – Niterói – Rio de Janeiro).
Inscrições: gratuitas pelo e-mail: 
cest@chniteroi.com.br ou telefone (21) 2729-1154. Vagas limitadas.

Fonte: Assessoria de Imprensa Saúde em Pauta

Foto: Divulgação


Luiz-Araújo-oncologista-1280x853.jpg

Saúde Bem Explicada23 de julho de 20182min521

Evento terá apresentações sobre Síndrome do Coração Partido, Robótica da Urologia e O Futuro do Tratamento de Câncer

 

O Americas Serviços Médicos, grupo médico-hospitalar que reúne 21 instituições de referência, promove, no dia 26 de julho, às 9h, o MED Talks – ciclo mensal de palestras gratuitas e abertas ao público, com 10 minutos cada uma, ministradas por médicos que são referências em suas especialidades. Nesta edição, o evento contará com as seguintes apresentações: Síndrome do Coração Partido (com o cardiologista Cláudio Tinoco, coordenador do serviço de medicina nuclear do Hospital Pró-Cardíaco); Robótica da Urologia (com o urologista Raphael Rocha, especializado em cirurgia robótica); e O Futuro do Tratamento de Câncer (com o oncologista Luiz Henrique Araújo, coordenador do Centro Oncológico do Hospital Samaritano Botafogo). O MED Talks será realizado na Casa do Saber Rio, no 1º piso do Shopping Leblon (Avenida Afrânio de Mello Franco, 290, loja 101 – Leblon). A entrada será pelo acesso principal do shopping, cujo estacionamento abre às 8h. Os vídeos dos encontros anteriores estão disponíveis no perfil do Americas Serviços Médicos no Facebook (facebook.com/americasmed).

Na foto, ao meio, o  oncologista Luiz Araujo

Fonte : Assessoria de Imprensa

 


Hans-1.jpg

Saúde Bem Explicada23 de maio de 20184min910

Temos um carinho especial pelo Inlags ( Instituto Latino Americano de Gestão de Saúde). E o Instituto participa da Hospitalar  representado por Hans Dohmann no painel : A coordenação do cuidado, qualificação e segurança do paciente – O papel  dos Hospitalistas. Em sua apresentação, Hans vai falar sobre a necessidade da Coordenação do Cuidado em todos os níveis do sistema de saúde. Segundo ele, a  Coordenação do Cuidado  ainda é muito confundida  com atenção multidisciplinar ou atenção básica e  se caracteriza por ser uma abordagem integral, centrada na pessoa,  realizada por uma equipe multidisciplinar  integrada nas informações e consequentes ações  baseadas em evidências  para cada nível de cuidado. Quem estiver por lá, vale a pena conferir.

O evento começou ontem .  A  cada dia são apresentados dois painéis. O primeiro foi: Lean Healthcare tornando a gestão eficiente e sustentável com participação de Rafael Paim, da Enjourney, Claudio  Barban, do Leforte,  Carlos Frederico, da IOV ( Instituto de Oncologia do Vale) e Claudia Araujo, do Coppead com moderação  de Lidia Abdala, do laboratório  Sabin; e  Os avanços e oportunidades de fusões e aquisições que movimentam o setor de saúde com Gustavo Carvalho, da Hospital Care, Luis Fernando Joaquim, da Deloite, Luiz de Luca, da De Luca Consultoria e moderação de Jair Monaci, da Hunter Capital.

Hoje, 23 de maio, os debates serão sobre novos modelos de remuneração e regulação do setor com Jose Cechin, da Fenasaude, Rodrigo Aguiar, da ANS, Flavio de Carvalho Mendes, da Bradesco, Tereza Veloso, da Sul América e moderação de Denise Eloi, do Instituto Coalizão Saúde;  Verticalização conceito grupo operadora e hospital: gestão eficiente e sustentável com Hospi Igesp/ Transmontano, Valdir Ventura, do Hospital São Cristóvão Saúde, Massaroni Shibata, da Intermédica com moderação de Rosangela Catunda, da A4Quality Services.

Dia 24,  serão debatidos a Informação e registros eletrônicos: a importância da transformação digital em serviços do setor com Renata Aranha, da Entropia, Carlos Otero, do Hospital Italiano, Rita Ragazzi, da Frost&Sullivan, Roberto Botelho, da Uberlândia  Medical Center com moderação de Paola Perdigão, da HI 5;  A coordenação do cuidado, qualificação e segurança do paciente. O papel  dos Hospitalistas, com Hans Dohmann, do Inlags, Lidia Abdala, da Sabin, Claudio Nunes,  do Hospital Metropolitano  de Urgência e Emergência do Pará, Andre Wajner, do Sobramh com moderação de Ana  Regina Vlanich, da Unimed.

No dia 25, último dia do evento, serão debatidos: Os avanços da oncologia na saúde suplementar e os impactos na sustentabilidade do setor com Felipe Melo Cruz, do IBCC, Tharso Bossolani, da A.C Camargo, Luiz Maltoni, da Fundação do Câncer e mediação de André Dias, do Hospital São Camilo Pompéia; e Os Impactos das doenças crônicas na saúde suplementar: a importância da gestão de saúde populacional com Renato Veras, da UERJ, Gisele Maria Couto, do Albert Einstein, Alberto Ogata, da FGV, Fabio Lentulio, da Unimed BH e moderação de Milva Santos, da ABPRH.

 

 


Caroline-Heinz-Monica-Ulisses-1280x853.jpg

Saúde Bem Explicada17 de maio de 20185min984

 

Evento acontece nos dias 18 e 19 de maio, no Museu do Amanhã no Rio de Janeiro

 

 A HempMeds® Brasil, subsidiária do grupo americano Medical Marijuana, Inc. e primeira empresa autorizada pela Anvisa a importar um produto à base de canabidiol ao Brasil é apoiadora do Seminário Internacional “Cannabis Medicinal – Um olhar para o futuro”. O evento é realizado pela Fundação Fiocruz em parceria com a Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal – APEPI e acontecerá nos dias 18 e 19 de maio, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Segundo Margarete Santos de Brito, coordenadora da APEPI, “o objetivo do evento é discutir de forma mais profunda o uso terapêutico da Cannabis, as formas de acesso, resultados de pesquisas, regulamentação e o uso na saúde pública”.

Caroline Heinz, Vice-Presidente da HempMeds® Brasil, afirma que “a participação da empresa neste evento é essencial, pois reunirá todos os atores envolvidos no avanço do processo de liberação da Cannabis Medicinal como medicamento no país, angariando esforços para ampliar o conhecimento da comunidade médica e da sociedade em geral sobre os benefícios deste produto para diversas patologias”.  Na programação estão previstas palestras sobre a ciência canabinoide, o uso terapêutico no Brasil e no mundo, as implicações sócio-políticas e o relato de pacientes que já utilizam a Cannabis medicinal. As inscrições são gratuitas, para conferir a programação completa, acesse o link.

Sobre a Medical Marijuana, Inc.

A Medical Marijuana, Inc. (OTC PINK: MJNA) é a primeira empresa de Cannabis publicamente negociada nos Estados Unidos. A missão da empresa é ser a principal inovadora da indústria de cânhamo. A Medical Marijuana, Inc. (OTC PINK: MJNA) utiliza sua equipe de profissionais para fornecer, avaliar e comprar empresas e produtos de valor agregado, permitindo-lhes manter a sua integridade e espírito empreendedor. Trabalha para conscientizar a indústria, desenvolver negócios ecologicamente corretos e economicamente sustentáveis, aumentando o valor para o acionista. Está empenhada em fornecer consistentemente os produtos de óleo de cânhamo CBD da mais alta qualidade no mercado. Informações complementares sobre o portfólio de empresas e investimentos da Medical Marijuana, Inc., estão disponíveis no site www.medicalmarijuanainc.com.

 

Sobre a HempMeds® Brasil

A HempMeds® Brasil foi a primeira empresa a receber aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para importação de um produto à base de canabidiol, substância derivada do cânhamo, planta do gênero Cannabis. Atualmente, está autorizada a fornecer seus produtos, que auxiliam no controle de doenças como epilepsia, Parkinson, dor crônica e esclerose múltipla, sob prescrição médica. Para essas indicações, os produtos podem ser subsidiados pelo governo brasileiro. A

 

DIVULGAÇÃO LEGAL

A Medical Marijuana Inc. não vende ou distribui quaisquer produtos que violem a Lei de Substâncias Controladas dos Estados Unidos (US.CSA). Estas empresas produzem, vendem e distribuem produtos à base de cânhamo e estão envolvidas com a distribuição federalmente legal de produtos médicos à base de maconha em determinados mercados internacionais. O canabidiol é um componente natural do óleo de cânhamo.

 

Fonte: Advice Comunicação Corporativa 


Amanda-Estácio.jpg

Saúde Bem Explicada16 de maio de 20181min1103

 

 

A Liga Acadêmica de Humanização (LIAH)  da Universidade Estácio de Sá ( UNESA ) , Campus João Uchôa, no Rio Comprido, Rio de Janeiro, organizou o evento  Empatia! Venha se colocar no lugar do outro que será realizado dia 17/5,  17h30.

O tema será apresentado pela pediatra Luciana Borges, professora da Estácio e da UERJ. De acordo com a presidente da LIAH , Amanda Machado, o tema Empatia foi escolhido porque é um dos pilares da humanização e é muito importante para a formação médica e dos profissionais de saúde de uma forma geral. ” Bom seria se fossemos bons e empáticos, mas como ser bom é algo inerente, sejamos empáticos pois a empatia é adquirida a partir de exercício diário.

O evento é gratuito e aberto a todos os interessados.

 


Evento-Superação-Rosayne-Macedo-1280x960.jpg

Saúde Bem Explicada16 de maio de 20182min929

 

 

O II Superação – Equilibrando corpo , mente e bolso, evento produzido pela jornalista Rosayne Macedo, editora do portal Vida e Ação, reuniu ontem, 15/5,  dezenas de pessoas entre  empreendedores e jornalistas, no Espaço Ideal, centro do Rio.

Entre os palestrantes estavam a  psicóloga e arteterapeuta Renata Viegas, que abriu sua apresentação promovendo um relaxamento com o público. Entre oa assuntos abordados  a importância da respiração profunda e  dicas de como as pessoas podem se ajudar por meio da prática de exercício físico e de  atividades de relaxamento  que deem prazer.

Mudar o sistema de crenças sobre a própria pessoa pode ajudar a superar muitos obstáculos, segundo o  coach financeiro  Alexandre Prado, do Núcleo Expansão. Por meio de exercícios em que são escritas as crenças limitantes e reescritas de forma positiva, a comunicação muda, logo o pensamento, sentimento e crenças também.

Humberto Gondim, consultor em vendas e marketing, contou como a prática da corrida o ajudou a superar o estresse e mudou sua vida. Tarcísio Melo, engenheiro e empreendedor falou sobre sua experiência  com seus projetos de inovação e da dificuldade das  pessoas em ousar, abrir mão do emprego e das horas de descanso para empreender. Por fim o  especialista em produtividade digital Raoni Luna mostrou como devemos estar atentos ao tempo que ficamos na internet, porque além dos dados serem  utilizados pelas empresas  que faturam com essa utilização em excesso, as pessoas não percebem como perdem horas por semana na rede mundial.